BEM-VINDOS À CRÔNICAS, ETC.


Amor é privilégio de maduros / estendidos na mais estreita cama, / que se torna a mais / larga e mais relvosa, / roçando, em cada poro, o céu do corpo. / É isto, amor: o ganho não previsto, / o prêmio subterrâneo e coruscante, / leitura de relâmpago cifrado, /que, decifrado, nada mais existe / valendo a pena e o preço do terrestre, / salvo o minuto de ouro no relógio / minúsculo, vibrando no crepúsculo. / Amor é o que se aprende no limite, / depois de se arquivar toda a ciência / herdada, ouvida. / Amor começa tarde. (O Amor e seu tempoCarlos Drummond de Andrade)

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Discussões sem fim

“Vamos acabar com o samba
Madame não gosta que ninguém sambe
Vive dizendo que o samba é vexame
Pra que discutir com Madame”

Por duas semanas seguidas, o Professor e filósofo Luiz Felipe Pondé repetiu o tema em sua crônica semanal no Jornal Folha de São Paulo. Qual era o tema? A beleza. Alguém, a quem chamou de “corretinhos”, o pautou na semana anterior, não anuindo sobre o que disse. Pondé tem uma escrita que aprecio. Ele escreve com o dicionário da lógica ao lado. Coincidência ou não, escrevi sobre a beleza também e volto escrever de novo.

Há discussões que são homéricas e podem parecer que não levam a lugar algum. Mas não deixa de ser prazeroso discutir certos tabus. Há pontos de vistas diversos. É só ler os comentários, sobre qualquer assunto, das pessoas nas redes sociais e noticiários na internet e verá os diversos pontos de vista. Poderá até mudar sua opinião em frações de segundo.

O Facebook criou uma ferramenta interessante que é o “curtir”. Se você gostou do que o amigo escreveu ou postou, você clica “curtir”- com o polegar para cima. Já o “não curtir” não existe. Claro que não deve existir. Se você não gostou, não precisa dizer, é só desprezar, ainda mais porque irá entrar em quintal alheio.

Meu próximo texto que deixarei aqui no Blog (com área para comentários) vai tratar de três assuntos polêmicos: futebol, religião e mulher. Claro, sob a visão deste escriba e de nenhum outro. Uns poderão dizer “curti”, outros poderão me mostrar o polegar para baixo. Fazer o quê? Ainda não consigo ser unanimidade. Sexta-feira neste Blog: Futebol, religião, mulher...

© Antônio de Oliveira / arquiteto e urbanista / outubro de 2011.
Postar um comentário