BEM-VINDOS À CRÔNICAS, ETC.


Amor é privilégio de maduros / estendidos na mais estreita cama, / que se torna a mais / larga e mais relvosa, / roçando, em cada poro, o céu do corpo. / É isto, amor: o ganho não previsto, / o prêmio subterrâneo e coruscante, / leitura de relâmpago cifrado, /que, decifrado, nada mais existe / valendo a pena e o preço do terrestre, / salvo o minuto de ouro no relógio / minúsculo, vibrando no crepúsculo. / Amor é o que se aprende no limite, / depois de se arquivar toda a ciência / herdada, ouvida. / Amor começa tarde. (O Amor e seu tempoCarlos Drummond de Andrade)

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Este Blog

Só para esclarecimento. Muitos leitores (as) vêm visitar o blog procurando novidades - textos inéditos todos os dias. O fato, é que este escriba não tem hábito de escrever todos os dias. Não que não queira. Desculpa, às vezes sou tragado por outros compromissos e pouco tempo resta para escrever. É claro, tenho outros hobbies, que não é só escrever, outro é ler. Quem escreve tem que ler. Nas letras como na arquitetura sobrevivemos à base de inspiração. Tem dias que olho para o papel virtual do Word e não vem nada, nadinha. Gostaria de ser uma máquina de escrever (Olivetti). Minha atividade principal é urbanista (agora convicto) e por isso escrevo nas horas que me sobram.

Para o próximo texto do Blog, fui buscar inspiração onde não havia. A ideia já existia, mas faltava um empurrão no “ócio criativo”. Saiu. Acredito que hoje à noite já esteja pronto para postar aqui. Dei o nome de “Quando as flores eram de verdade”, mas poderia se chamar “Pra não dizer que não falei das flores também”.

Como podem perceber não conto com colaboradores. O blog é só meu e não tenho mais ninguém mexendo aqui, mas aceito sugestões dos leitores. Por enquanto, faço dele meu cantinho, meu esconderijo da vida. Quem sustenta e me dá alento são vocês. Obrigado e vamos em frente. (Antonio)

Postar um comentário